http://riscotecnologico.cetesb.sp.gov.br

Etapas

O primeiro passo para a realização do Estudo de Análise de Risco (EAR) é a compilação de dados relativos às características do empreendimento, contemplando seus aspectos construtivos e operacionais, além das peculiaridades da região onde este se encontra ou será instalado.

A caracterização do empreendimento e da região tem por finalidade identificar localmente atividades que possam interferir no empreendimento, sob o enfoque operacional e de segurança e estabelecer uma relação direta entre o empreendimento e a região sob influência.

Os resultados práticos esperados são a obtenção de um diagnóstico das interfaces existentes entre o empreendimento em análise e o local de sua instalação, e a caracterização dos aspectos relevantes que subsidiarão os estudos de análise de risco, definindo os métodos, diretrizes ou necessidades específicas.

Esta etapa inicial do trabalho deve contemplar os seguintes aspectos:

Aspectos fisiográficos da região sob influência do empreendimento

  • localização do empreendimento;
  • núcleos habitacionais considerando-se a estimativa e caracterização do tipo e número de habitantes, bem como o perfil da população (áreas urbanas, rurais e em expansão).
  • corpos d’água (consumo humano, abastecimento industrial, utilização agropecuária, geração de energia, piscicultura, recreação, entre outros);
  • áreas litorâneas (manguezais, praias, costões, estuários, portos e áreas de navegação);

Características meteorológicas da região

  • temperatura;
  • umidade relativa do ar;
  • velocidade e direção de ventos.

Características da instalação

  • descrição física e layout da instalação, em escala;
  • plantas ou fotos aéreas, em escala e atualizadas, que apresentem a circunvizinhança ao redor da instalação;
  • substâncias químicas identificadas por meio de nomenclatura oficial e número CAS (Chemical Abstracts Service), incluindo inventário, formas de movimentação, armazenamento e manipulação, contemplando suas características físico-químicas e toxicológicas. Considerar as matérias-primas, produtos auxiliares, intermediários e acabados, bem como resíduos, insumos e utilidades;
  • descrição do processo e rotinas operacionais;
  • apresentação de fluxogramas de engenharia, de processos e de instrumentação;
  • dados operacionais (vazão, pressão, temperatura);
  • sistemas de proteção e segurança.